A economia é o motor da sociedade

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Económico

Aqui a baixo uma noticia sobre a econimia de portugal,Leiam e comentem ,nao vos rouba muito tempo





O ministro das Obras Públicas avançou hoje que a construção do TGV Lisboa-Madrid terá encargos directos equivalentes a 0,04% do PIB.
Ao falar no Parlamento, António Mendonça explicou que "em 2010 não haverá custos com o projecto" e que, "em 2011, a despesa será de 76 mihões de euros, correspondente a 0,04% do PIB". Já em 2012, "a despesa será de 40 milhões, correspondente a 0,03% do PIB", adiantou.
Continuou António Mendonça que, em termos médios e ao longo das concessões, "os encargos para o Orçamento do Estado serão em média de 73 milhões de euros por ano, o equivalente a 0,04% do PIB".
Além disso, o ministro das Obras Públicas sublinhou que o projecto beneficia das linhas especiais do Banco Europeu de Investimento (BEI), e que a construção do TGV entre Lisboa e Madrid está contemplada no PEC, que foi, de resto, objecto de acordo com a oposição.
No início da sua intervenção no debate desta manhã, António Mendonça frisou também que o Governo "mantém a sua firme intenção de construir a linha de alta velocidade entre Lisboa e Madrid, incluindo o troço entre Lisboa e o Poceirão".
Isto apesar de ter anulado o troço na semana passada, devido à "significativa e progressiva degradação da conjuntura económica e financeira" de Portugal, situação decorrente da "grave e conhecida crise financeira mundial", segundo diploma publicado em Diário da República.



Noticias relacionadas que talvez sejam de vosso enterece:
Novo aeroporto tera impactos brutais:http://economico.sapo.pt/noticias/novo-aeroporto-tera-impactos-brutais_99947.html






TODOS OS DIREITOS ESTAO RESERVADO A sapo.pt

20 comentários:

Pedro disse...

Eu penso que a construção do TGV Lisboa-Madrid neste contexto de crise deveria ser melhor avaliado, para se perceber se faz realmente sentido instituir esta obra no plano de estabilidade e crescimento relativamente aos problemas orçamentais que irá trazer. Na minha opinião faria mais sentido que o TGV fizesse também ligação com importantes portos marítimos como o de Sines.

Pedro Tomé

Filipe Esteves disse...

Na minha opinião sobre a construção do TGV Lisboa-Madrid.Só deveria ser construido depois de se fazer estudos sobre as vantagens e desvantagens da sua construção.Mas como estamos em plena crise económica,devia-mos dividir os custos com a espanha.E talvez a Uniao Europeia
comtribuisse com sua construção

Jorge disse...

Eu acho que o TGV só vai complicar mais a economia portuguesa porque este projecto só estará concluido daqui a muito tempo e só vai igualar os seus custos a longo prazo por isso acho q Portugal devia investir em projectos mais pequenos de fácil elaboração,de custos reduzidos e que apresentem um rendimento mais depressa.

afonso disse...

Tendo em conta custo/ benefício do TGV, especialmente no que diz respeito ao troço Lisboa-Porto (para poupar meia hora de viagem), não me parece um investimento rentável. A necessidade de aproximar Portugal da centralidade europeia poderá ser um factor a favor da sua construção, no entanto não a curto prazo, atendendo ao actual estado do país.
Afonso Pedroso

Pedro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pedro disse...

Concordo plenamente. Pelo menos segundo o ministro das obras públicas 85% dos fornecimentos serão feitos por empresas portuguesas. É pena é que os valores do custo médio da manutenção por cada ano da concessão avançados pelo estado (de 12,5 milhões de euros) não coincidem com os do contrato (15 milhões de euros).

Pedro Tomé

Mark disse...

Retirar meia hora da viagem de Lisboa-Porto é insignificante, mas ter uma ligação com Madrid seria muito iportante porque como sabem Portugal é um país periférico em relação à Europa e isso seria uma importante via de comunicação. A verdade é que os beneficios dessa ligação só virão daqui a alguns anos pois a construção demora. As empresas de contrução iriam sair beneficiadas, mas será que nesta altura de crise devemos endividar ainda mais o país... Acho que deviam estudar muito bem antes de fazer alguma decisão.

Mark Vaz nº17 10ºD

Ricardo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ricardo disse...

Na minha opinião, penso que deve ser um bom incentivo á recuperação da economia portuguesa, apesar de soar dispensioso a construção do TGV lisoa-madrid poderá fornecer empregos directos e indirectos uma vez que a maior parte da sua construção envolve empresas portuguesas (tomem como exemplo o plano New Deal de Franklin D. Roosevelt), alem disso a construção do TGV Lisboa-Madrid é uma necessidade, uma vez que a Espanha é a unica maneira de contactar-mos com resto da Europa por via terrestre, penso que esta construção pode tambem ter impacto no turismo português, esta obra pode trazer bons impactos ou mesmo maus dependendo de factores exteriores.

Ricardo Lopes nº25 10ºE

- Ritaa disse...

Sobre a construção do TGV tenho a dizer que concordo com esta iniciativa pelo facto de ser uma boa maneira de melhorar a economia do país. Vai nos dar a oportunidade de nos relacionarmos com o exterior, de uma forma mais rápida e eficaz, vai beneficiar o comércio, entre outros aspectos positivos que já foram referidos pelos meus colegas e com os quais eu concordo também.
No entanto, existe um 'mas' nesta história. Apesar do TGV ser benéfico para Portugal nestes aspectos, penso que não é uma construção que mereça prioridade. A saúde, o ensino, o desemprego, isso sim são assuntos de maior importância e devido à situação de crise por que passamos tentar resolvê-los com a maior consciência possível, evitanto investimentos públicos de grande porte.

Rita Alexandra Matos Nº21 10ºD

Tiago Oliveira disse...

É necessária uma boa e profunda avaliação se a construção do TGV bem como a do novo Aeroporto da Ota deve ser feita.
É preciso haver certezas que estas duas grandes obras publicas serão benéficas para o pais, e para mais, se servirão para tirar o povo português desta crise em que se encontra. Todos os serviços têm de estar a funcionar na perfeição, o que não acontece por exemplo com a saúde e educação, existem centros médicos, maternidades e hospitais que fecham ano após ano, tendo as pessoas de se deslocarem em caso de necessitarem de uma consulta, ou ate mais grave, de uma urgência, bem como nas escolas, que três semanas após o inicio do ano lectivo, há estabelecimentos de ensino sem professores e/ou vigilantes.
A pergunta é, se será que têm de ser estas grandes obras publicas bem como a compra dos novos submarinos em primeiro lugar a serem feitas? Ou talvez fosse o apoio as Pme's, fábricas e famílias, bem como as medidas para decrescer a taxa de desemprego que é/são preciso neste momento ?

Tiago Oliveira Nº21 10ºD

bernas_rodrigues disse...

Eu não concordo com a construção do TGV pois nesta altura que o pais tem dividas para pagar não acho que se deveria fazer uma obra com esta dimensão e com este custo. Acho que esta construção deveria ser adiada até Portugal ultrapassar esta crise económica para não deixar mais encargos ás gerações futuras. Só faz sentido esta obra se o TGV fizer a ligação directa entre Lisboa e Madrid e outros países europeus sem que pare de duas em duas horas.

Bernardo Rodrigues Nº6 10ºD

João Aragão disse...

A construção do TGV Lisboa-Madrid faz parte dum conjunto de projectos, do qual também fazem parte a Terceira Travessia do Tejo e o Novo Aeroporto Internacional de Lisboa. Estes projectos são, na minha opinião, prioritários, visto que iriam contribuir para o desenvolvimento do país. Portugal ocupa, como sabem, uma posição periférica relativamente aos principais centros económicos europeus. A construção do TGV seria benéfica para Portugal, tendo em conta que iria "encurtar" as distâncias a esses centros, facilitar trocas comerciais e atenuar o isolamento a que Portugal está sujeito. No entanto, a construção desta obra causaria graves encargos para a economia portuguesa. Na minha opinião, a construção do TGV não deveria constar nem no Orçamento de Estado nem no Plano de Estabilidade e Crescimento. O avanço desta obra só contribuiria para o agravamento da situação económica portuguesa e o consequente aumento dos impostos. Concluindo, sou a favor da construção do TGV mas não num futuro próximo.

João Aragão nº15 10ºD

Barbara disse...

Na minha opinião, a construção do TGV, como tudo, causa impactos positivos e negativos.
Em termos económicos esta construção e bastante negativa, pois o investimento e muito pouco rentável, pois Portugal iria perder demasiados milhões, e iria demorar demasiado tempo até repormos os valores estáveis, pois apesar da maior parte de este investimento ser pago na sua totalidade pelos fundos Europeus que é o principal instrumento da ajuda comunitária no âmbito da cooperação para o desenvolvimento dos países da Europa, Portugal apenas usufruirá desses fundos em 2010, ou seja nos anos seguintes que ocorrerá a sua construção Portugal levara a sua economia a decadência. E agregada a estes factores negativos também se encontra o desemprego, pois de certo que a maioria das pessoas empregues para esta construção serão espanhóis logo o nosso desemprego não melhoraria significativamente e juntando também as consequências negativas de que esta linha não passara por algumas cidades como Elvas, Salvaterra de Magos ou Freixo de Espada à Cinta.
Mas apesar destes aspectos negativos também podemos encontrar aspectos positivos, pois se virmos este tema de um ponto de vista de necessidade, o TGV deveria ser feito, pois este ajudaria Portugal não só em termos de turismos, mas também em termos de cargas e descargas, se a linha fosse construída, Portugal iria reduzir a distância/tempo e a distância/ custo entre Espanha.

Ricardo disse...

Este assunto tem prós e contras, o que torna complicado concretizar uma ideia.
Na minha opinião, a construção do TGV ajudaria Portugal a relacionar-se mais rapidamente com o resto da Europa e beneficiaria as trocas comerciais.
No entanto, este investimento não será rentável num curto prazo. Além disso, neste momento a construção do TGV não é uma obra prioritária, pois o país está com problemas económicos e financeiros, necessitando de investir mais na área da investigação e saúde.

Ricardo Pereira nº19 10ºD

Afonso disse...

O projecto TGV poderia ser positivo para o desnvolvimento de portugal na medida em que tornaria mais rápidas as ligações dos portugueses com o centro da penisula(Madrid).No entanto, em tempo de crise esse investimento é muito elevado e, apesar das palavras optimistas do ministro, não convém endividarmo-nos.

Afonso Limão Nº2 10ºD

henrique disse...

Na minha opinião o TGV apesar de ser um projecto caro, a construção do troço que ligará Lisboa a Madrid poderá ajudar em muito as relações económicas entre estas duas capitais e daria a Portugal uma maior facilidade de chegar aos grandes pontos económicos da Europa. No entanto há desvantagens tais como o custo do TGV, a diminuição da utilização de outros troços dentro de Portugal e a diminuição de consumo nas paragens habituais, à semelhança do que aconteceu na Marateca e no Canal Caveira aquando da ampliação da A2 estes sitios são locais onde as pessoas costumavam parar para abastecer e alimentarem-se e muitas famílias viviam disso. A construção do troço que liga Lisboa ao Porto nao vale a pena pois estamos a pagar muito por apenas 30 minutos de diferença. Contudo o investimento no TGV pode ser diminuido se se forem buscar parceiros tanto a Espanha como à União Europeia.

inesmoura95 disse...

Na minha opinião o TGV deveria ser melhor analisado.
O TGV em termos económicos vai trazer grandes prejuizos ao país, pois vai sair muito caro. Acho também que não é um bem essencial e de extrema importância por isso a construção do TGV podia ser adiada quando a situação económica de Portugal fosse melhor.
Inês Moura

Filipe Elvas disse...

Eu não concordo com a construção do TGV porque vais custar muito dinheiro ao longo do anos e a nossa economia nao está muito boa para conseguir suportar os custos do TGV.
Eu acho que deveriam reflectir melhor sobre esta consrução.

João Grilo disse...

Com a crise economica que o nosso País está a passar nao entendo como pretendem pensar sequer em construçoes de obras publicas com custos elevados e sem a certeza de sucesso total. E ainda com Portugal a acartar com maior parte dos custos. Sem suvida que o TGV como o Aeroporto da Ota teriam vantagens como alguns postos de trabalho e maior visibilade em relaçao aos outros paises da Europa mas isso nao poe de parte os custos elevados como grande desvantagem. Os responsaveis pela tentativa desta construçao, o nosso "grande" Estado português deve repensar e ver se vale mesmo a pena construir esta obra neste tempo em que a economia portuguesa esta muito mal.

Saudaçoes aos outros seguidores,
João Grilo 10D nº14